“Quando Deus Quer”: O significado de um ídolo na vida de uma fã

Vitoria Segura conta sobre a importância do cantor Lucas Lucco em sua vida

Lucas Lucco é um dos nomes que dão o tom no novo cenário sertanejo. Com quase 13 anos de carreira, o cantor iniciou no trio “Skypiras”. Mas foi somente em 2011 que o astro deu o pontapé inicial da trajetória solo ao lançar a música “Amor Bipolar”. Apadrinhado pela dupla Fernando & Sorocaba, Lucco ganhou o Brasil com o sucesso “Para Te Fazer Lembrar”, faixa que o estabeleceu no mercado musical. Em 2019, lançou o projeto “De Bar Em Bar”, onde se apresentou por diversos bares pelo País, com a presença de convidados e divulgando novas faixas. Com mais de 3 milhões de ouvintes mensais na plataforma digital Spotify e mais de 16 milhões de seguidores nas redes sociais, o artista carrega uma legião de fãs por onde vai. Uma delas é a analista de TI, Vitoria Segura, de 23 anos. A jovem conversou com o Festanejo sobre o grande significado de Lucas em sua vida.

Há quanto tempo você é fã do Lucas Lucco?

Sou fã do Lucas há seis anos.

Como conheceu o trabalho do cantor?

Eu conheci através da minha prima, que colocou uma música dele para eu ouvir. Na época, estava tocando muito “Para Te Fazer Lembrar”, era final de 2013, mais ou menos. Aí, passei a ouvir a música, fui pesquisar, pesquisei outras músicas e fui gostando do trabalho dele. Até então, eu não sabia o rosto, não sabia quem era, acredite se quiser. Fiquei um tempão ouvindo as músicas, confesso que, quando eu fui pesquisar quem era, eu achei que ele era como os demais, não tinha nada de diferente, vamos dizer assim, era só mais um cantor que estava estourando no sertanejo. Em um domingo, liguei a televisão e coloquei acidentalmente no “Domingo Legal”, e ele ia ao programa nesse dia, e eu parei para assistir.  Foi aí que eu me encantei pelo ser humano que o Lucas é.

Qual a maior loucura que você já fez por ele?

Como uma boa fã raiz, tenho umas ‘trocentas’ loucuras. Mas a que eu acho mais engraçada, e a mais válida para contar, é a de 2017, quando o Lucas foi fazer uma presença VIP na feira Beauty Fair. Quando acabou o evento, sai e me sentei em um banquinho que tinha lá fora, e sem querer, tinha um funcionário da marca que ele foi fazer a presença, sentado. Eu estava com a camiseta do fã-clube, e ele me perguntou se eu tinha tirado foto com o Lucas. Eu falei que não, era muita gente e eu não tinha conseguido. E aí, passou por nós outro cara do evento que perguntou se o Lucas já tinha saído. Ele falou: “Olha, acho que não, porque eu sei por onde ele vai sair”. Então ele olhou pra mim e disse “você não quer ir até lá?” Ele me ajudou e, quando eu estava virando a esquina, o moço voltou e disse: “O Lucas está entrando no carro”. Como sou deficiente, tenho paralisia cerebral estática, uso muletas, então eu tenho uma dificuldade maior de locomoção. Mas nesse momento, esqueci das minhas limitações. Eu comecei a correr como nunca corri na vida. Com muleta, mochila, tudo. Tinha um degrau bem alto, e eu pulei esse degrau e comecei a correr. Eu gritava “Lucas! Lucas!”, desesperada e correndo. Tinha uns 80 seguranças, todos pararam e ficaram olhando para a minha cara. Na quarta vez que eu gritei, ele olhou. Ele estava para entrar no carro, ele viu que eu estava correndo e voltou para trás para me atender. Foi incrível esse dia.

Sua família e amigos te apoiam nessas aventuras de fã?

A minha família fica entre apoiar e ficar preocupada, querem que eu pare de ir atrás, por mais que o Lucas reconheça o carinho. Por mais que tenha esse retorno por parte dele, meus pais não aceitam muito, eles querem que eu pare, que eu vá fazer outra coisa, não fique me sacrificando tanto, mais pelas minhas limitações. Porque muitas vezes, os shows acabam de madrugada, é perigoso, ou que eu fique muito cansada, é um desgaste físico muito grande ficar muitas horas em pé. Infelizmente, as casas de shows, por mais que seja obrigatório, por lei, ter um local acessível para quem tem mobilidade reduzida ou é cadeirante, a maioria não tem, e isso dificulta muito. A maioria das vezes eu volto para casa com muita dor, muito cansada, muito desgastada. Não pelo show, mas sim por ficar muito tempo na mesma posição ou por ser empurrada e as pessoas não respeitarem. Mas eu amo ir em show, viajar atrás do Lucas.

Se pudesse passar 24 horas ao lado do Lucas, o que você faria?

Eu conversaria muito com o Lucas. Colocaria os pontos que eu acredito que poderiam melhorar na relação entre escritório e fã, equipe e fã. Mostrar mais o lado da Vitoria ser humano, e não como uma fã maluca. Conversar bastante, curtir mesmo, como se fosse um amigo. Tenho ele como um irmão mais velho. Então, eu aproveitaria muito ao lado dele, curtiria bastante, abraçaria bastante ele, ficaria como ele assim para saber as coisas, dar sugestões, conselhos, e seria muito bacana. Se um dia Deus me permitir, quem sabe?

Para você, o que difere o Lucas Lucco de outros cantores sertanejos?

O Lucas é muito acessível. Isso é raro nesse meio artístico, a maioria dos cantores, não vou generalizar porque tem outros que são tão acessíveis quanto, mas o Lucas é muito acessível, é muito simples, é do povão. Ele gosta do que ele faz, ele tem paixão pelo o que ele faz. Ele gosta de pessoas, ele gosta de contato, de estar perto. Se você não ‘causar’, ele conversa, ele gosta de conversar, ele é acessível. Ele trata bem da faxineira do local que ele vai fazer show até o segurança, o dono do evento aos fãs. Qualquer um que chega perto dele ele é educado, ele está sempre disposto a atender em qualquer lugar que você encontrar, ele vai ser educado com você. É uma pessoa muito educada. Muito tímida, mas muito educada. É um ser humano de uma luz que poucas vezes vi. Ele mostra que isso é dele, sempre foi dele e é a marca. Ser diferente apoiando as causas, querendo sempre ajudar o próximo, estar com o próximo, exercer o seu trabalho da melhor maneira, ser um ser humano inspirador para os demais.

Qual música dele tem mais significado para você? Por quê?

Eu amo muitas. Não falo todas porque tem uma ou outra que eu não gosto. Mas a que eu mais me identifico e tem um significado muito especial de verdade para mim é “Para Quando Deus Quer”. Porque na época em que foi lançada essa música, eu estava passando por um momento bem difícil. Eu estava no final do ensino médio, trabalhava em um hipermercado, era operadora de caixa, e eu comecei a ter fortes dores no braço. Todo mundo achava que poderia ser tendinite, pelo esforço físico da profissão da época. Nada adiantava, nenhum exame dava nada. Eu estava com exaustão, entrando praticamente em um quadro de depressão. Meus pais me falavam que eu não ia conseguir terminar a escola. Não ter o apoio deles nesse momento foi muito difícil. Eu estava prestes a desistir de tudo. Da escola, do emprego, e essa música foi lançada. Ela prega uma mensagem muito importante de que Deus é quem rege tudo. Quando Deus quer, as coisas acontecem. E quando você luta, as coisas acontecem, e quando você tem fé também. A luta e a fé estão interligadas, você não pode desistir. Essa música prega essa mensagem de não desistir. Seja o lado emocional de um sonho, ou de um amor. Você não pode desistir, quando Deus quer. É uma mensagem muito forte e muito bonita. De não desistir daquilo que você acredita. Então é muito importante para mim.

Você é membro da central de fãs do artista. Como chegou até o fã-clube?

Eu criei um fã-clube chamado “Ao teu lado Lucco”. De início era só meu. Era um fã- clube para você demonstrar o amor pelo artista.  Criei ele em 2014, eu era fã do Lucas há apenas alguns meses. Em 2016, conheci outra fã, e como o Luccas já seguia, a gente decidiu montar uma união de fãs. A central de fãs estava cadastrando quem tivesse interesse. A gente decidiu de unir e montar, e hoje é esse grande fã- clube. Hoje, tem quase 40 membros, já passou muita gente, muita gente eu consegui ajudar a conhecer o Lucas, a abraçar. Isso é muito gratificante para mim. Eu estou desde 2016 na central de fãs e já ajudei bastante, tanto membros quanto nãomembros de fora. Porque, infelizmente, o fandom não tem muito de ajudar outras fãs. Tem aquele grupinho fechado e acabou. Cada uma cuida do seu e acabou. E acham que quem é de fora, que não tem essa percepção de como funciona o fã-clube, uma central de fãs, não tem direito de conhecer o artista. Eu acho isso errado, então eu gosto de sempre ajudar os outros. Isso me fez criar o fã-clube para ajudar outras fãs.

Existem vários fãs-clubes de cada cantor. Acha que vivem em harmonia ou têm concorrência, no bom sentido?

Deveria ter mais harmonia. Eu acho que concorrência sempre existe, os cantores são concorrentes, mas não são inimigos, são todos colegas e parcialmente amigos. Acho que os fandoms poderiam sem mais unidos, viver em harmonia, não ter aquela briguinha. Acho que cada um tem que ajudar o outro. O amor é o mesmo, independente do artista, do cantor. O amor de fã é o mesmo. Quanto mais somar, melhor. Quanto mais amor, mais coisa boa.

Qual a melhor parte em ser fã do Lucas Lucco?

É a energia que ele passa para a gente. A energia boa de felicidade, de acredite no seus sonhos, de não desista, de trazer pessoas especiais para a sua vida, no quesito amizade. Coisas boas como essa entrevista. Acho que a melhor parte de ser fã do Lucas é exercer essa troca. Troca de energia, troca de amor, de felicidade, de sempre querer coisas boas. Ele é uma pessoa que espalha isso por onde ele passa, amor, luz, felicidade. Essa é a parte boa de ser fã dele, de um ídolo acessível, de ser um ser humano admirável.

COMPARTILHE

Be the first to comment on "“Quando Deus Quer”: O significado de um ídolo na vida de uma fã"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*