Raiva, nervoso, emoção: ser fã é ter muitas e muitas histórias para contar

Brenda Scartefild conta ao Festanejo sobre a trajetória ao lado de Simone e Simaria

Simone e Simaria Mendes nasceram em Uibaí, município da Bahia.

Apaixonadas por música, ainda crianças, já participavam de concursos de talentos da região. A vida das irmãs começou a mudar quando foram aprovadas para compor a banda do cantor Frank Aguiar, como backing vocals. Em 2004, as cantoras lançaram o primeiro trabalho solo, o disco “Nã, Nã, Nim Na Não”, porém o projeto acabou descontinuado.

Já no ano de 2007, Simone e Simaria integraram a Banda Forró do Muído, sucesso no Nordeste, onde lançaram onze álbuns de estúdio e quatro ao vivo. Mas nenhum projeto foi páreo para a força das irmãs, que em 2012, decidiram focar na carreira em dupla.

Com sucessos como “Quando o Mel É Bom” e “126 Cabides”, conquistaram espaço nas paradas, mas foi com o segundo DVD das artistas, intitulado “Bar das Coleguinhas”, lançado em 2015, que obtiveram êxito nacional.

Resultado do trabalho de uma vida inteira, as irmãs hoje são consideradas percursoras do movimento de artistas femininas no meio sertanejo. A jornalista e mercadóloga carioca, Brenda Scartefild, de 25 anos, conversou com o Festanejo sobre a experiência de acompanhar a trajetória das coleguinhas.

Há quanto tempo você é fã de Simone e Simaria?

Tem exatos 2 anos e 1 mês!

Como conheceu o trabalho da dupla?

Na verdade, eu já conhecia a Simone do Instagram e já tinha escutado algumas músicas da dupla, mas o amor mesmo surgiu quando começou o The Voice Kids, em 2018.

Qual a maior loucura que você já fez pelas coleguinhas?

Não sei se caracteriza loucura, mas eu viajo o Brasil inteiro, quando possível, para estar presente nos shows delas. O maior tempo viajando que passei, foram 17 horas para estar presente no show delas em Barretos, como embaixadoras.

Sua família e amigos te apoiam nessas aventuras de fã?

Por ser fã de outra artista há mais de 15 anos, acredito que ter me tornado fã delas não tenha chocado tanto. Sim, apesar de acharem tudo que eu faço uma loucura, posso dizer que eles aceitam o meu amor por elas.

Se pudesse passar 24 horas ao lado da dupla, o que você faria?

Nunca parei para pensar sobre isso, mas se algum dia existisse essa possibilidade, acho que eu iria querer conhecer mais delas como pessoas. Não somente as artistas! Acredito que ambas têm muito mais para passar para o próximo e inspirar. Eu exploraria esse lado!

Para você, o que difere as coleguinhas de outras cantoras?

Tanto a Simone como a Simaria possuem uma humildade além da vida! Eu acho, na verdade eu tenho certeza, que a humildade torna elas diferente de muitos!

Qual a sua música favorita da dupla e por quê?

Eu não sei te dizer o porquê, mas “Amor de Motel”, do DVD “Live”, é minha música predileta. Elas acabaram de lançar “Amoreco” e também está dominando meu coração!

Brenda com o fã-clube nas gravações
do The Voice Kids

Como é integrar um fã-clube para um artista?

Na verdade, fazer parte de fã-clube vai além delas. Eu, na verdade, fiz amizades que eu tenho certeza que vou levar pra vida toda! Sou grata por fazer parte de um fandom que, apesar das pessoas ruins, trouxe pra minha vida seres humanos de luz e que tornam a minha vida e minhas loucuras de fã mais prazerosa.

Existem vários fã-clubes de cada cantor. Acha que vivem em harmonia ou tem uma certa concorrência no bom sentido?

Depende. Têm muitas pessoas que criam rixa, por exemplo, entre o fandom de Simone e Simaria e o da Maiara e Maraisa, e isso não deveria existir. Ambas as duplas são talentosas, são mulheres e batalharam para conquistar seu espaço. Os fãs deveriam entender que tem espaço para todas e querer viver em concorrência não acrescentará em nada na nossa vida.

Qual a melhor parte em ser fã de Simone e Simaria?

Ter histórias para contar! O fã da Simone e Simaria passa raiva, nervoso, acha que vai enfartar, mas no final tudo dá certo e aumentamos o nosso portfólio de histórias para contar. É uma melhor que a outra, isso eu garanto!

COMPARTILHE

Be the first to comment on "Raiva, nervoso, emoção: ser fã é ter muitas e muitas histórias para contar"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*