Entrevistas

[EXCLUSIVO] Tatti Alenncar, de Goiânia para o mundo

Apresentadora do Programa Tatti Show, das noites de domingo na Rede CNT, conversou com o Festanejo

Nada melhor do que terminar o domingo com a moral pra cima. É isso que a apresentadora e produtora Tatti Alenncar nos traz em seu programa Tatti Show, da Rede CNT, onde lança novos nomes da música, além de relembrar grandes sucessos de todos os tempos.

Como boa goianense, terra do sertanejo, Tatti conversou com o Festanejo sobre o estilo musical. Uma coisa é certa: ela não foge de qualquer pergunta e esse “sincericídio”, como fala, só categoriza mais sua carreira bem-sucedida. E como ela sempre diz com um belo sorriso aos domingos: “Beijos com barulho!”

Tatti, você tem uma história linda que começa em Goiás e invade o Brasil. Conte um pouco sobre o seu começo como artista.

Sou goianense, comedora de pequi, rs, filha de uma baiana e de um goiano, nascida numa sexta-feira, 13 de agosto. Desde pequena sonhava em ser apresentadora de TV.

Lembro-me de um concurso com as amiguinhas e primas que eu e minhas irmãs organizamos no quintal da nossa casa, ainda crianças, onde eu era a apresentadora desse concurso de miss mirim. Lembro bem da minha mãe me maquiando e dizendo: “Você será a apresentadora, tem que estar linda!!!”. Eu achava o máximo, aquilo brilhava meus olhos!!!

Em outra situação, com a ajuda da minha mãe, eu escrevia cartinhas feitas à mão, iguais as do programa da Xuxa. Eu escrevia as três coisas que mais gostava, inventava nomes, endereços diferentes para cada carta e tudo mais. Porém, não as enviava, e sim guardava em sacos plásticos.

Eram mais de 100 escritas, e quando eu queria brincar, pegava essas cartinhas, jogava no chão e sorteava pro alto, brincando de ser apresentadora.

Com o tempo, tive ainda mais certeza do que queria. Fiz alguns trabalhos na minha cidade (Goiânia), mas logo entendi que só iria conseguir me realizar profissionalmente se fosse atrás do meu sonho em São Paulo, celeiro das emissoras de TV.

Então, no dia 20 de maio de 2001, saí de Goiânia rumo a São Paulo com a cara e a coragem, e sem conhecer ninguém, em busca desse sonho. Bati de porta em porta em busca de uma oportunidade.

Confira também: [EXCLUSIVO] Júnior Pinheiro comemora o lançamento do clipe de “Raba Namorando”: “Do jeito que imaginei”

Com três meses morando em Sampa, fiz figurações como atriz no programa “Zorra Total”, para conseguir conquistar o que queria, trabalhei como produtora de alguns programas de TV, incluindo o que o comandante Hamilton apresentava na Rede TV.

Fui repórter esportiva também na Rede TV, além de atriz das pegadinhas na Band, Record TV e Rede TV.

Apresentei alguns programas em emissoras locais, como a Band interior, SBT interior e TV Aberta, intercalando nessa mesma época com alguns outros programas na Rede NGT, programas de conteúdo deles, e também o Barlada, que era um projeto meu, que revelava talentos e resgatava histórias de artistas sumidos da grande mídia. Foi um musical que ficou 11 anos no ar, e eu 14 anos nessa emissora.

Hoje, há quase dois anos, estou na Rede CNT para todo o país. Todos os domingos às 23h com o programa Tatti Show, que é uma mistura de entretenimento com músicas e entrevistas, mostrando a arte em geral.

Aproveito para agradecer toda a equipe CNT de Curitiba (PR), em especial ao diretor Osmar Gonçalves em São Paulo, que acreditou no meu trabalho e me deu a oportunidade de voltar à TV em rede nacional.

É preciso muita persistência para conseguir um espaço na TV com poucas possibilidades hoje em dia. Em quem você se inspirou para construir essa carreira?

Sim, só quem está no meio entende que é bem restrito esse espaço. Mas, como disse anteriormente, sempre fui muito atrás, procurei sempre fazer o meu melhor. Quando eu era só produtora, muita gente me procurava para trabalhar como produtora, como atriz das pegadinhas idem, até chegar como apresentadora e também realizar vários trabalhos.

Minhas inspirações, com certeza, foram os brilhantes apresentadores Chacrinha e Bolinha, que eu assistia sempre nas tardes de sábados.

Amava aqueles coloridos, a alegria da plateia, os quadros dos programas, bem como os seus musicais, onde tantos artistas foram revelados. Trago um pouco dessa espontaneidade deles.

Confira também: [EXCLUSIVO] Felipe Grilo e Wesley Safadão lançam parceria inédita: “Para enaltecer todas as nossas mulheres”

O seu programa atual na CNT, nos domingos às 23h, tem entrevistas cobrindo eventos, música e muita energia positiva para levantar a bola de quem fica tristinho ao ouvir a música do Fantástico. Como funciona a produção de seu programa?

Obrigada pelos elogios! A música triste foi boa, rs. Mas é fato que bate uma tristezinha mesmo no fim do domingo. Por isso, o Tatti Show vem se despedir do domingo com alegria e começando a semana para cima…

Eu me envolvo bastante. Como tenho em meu currículo experiência de produtora, gosto de produzir, inventar e criar conteúdos diferentes. Trabalho muito com temas especiais e desenvolvo conteúdo em cima deles.

Minha mãe sempre diz que quando eu coloco algo diferente no ar, dias depois outros programas copiam minhas ideias rs.

Mas, no estúdio, conto também com a equipe DM (Dário Magalhães), que cuida da edição e produção do cenário. Nas matérias externas, conto com o câmera Anderson Fernandes. Além da Cris, que cuida do contato do WhatsApp dessa produção.

É uma equipe bem reduzida, porém competente e que, sobretudo, amam o que fazem, incluindo essa apresentadora que vos escreve.

Agora vamos para a área do sertanejo que é o tema de nosso portal Festanejo. Você gosta de música sertaneja? Fale de algumas.

Como uma boa goianense, não poderia não gostar, né? Tá na veia! Mas, confesso que prefiro as modas mais antigas…

Sei que tem muita gente boa hoje em dia, mas eu amo de paixão as músicas de Milionário & José Rico, Gilberto & Gilmar, Christyan & Ralf, Matogrosso & Mathias, Chitãozinho & Xororó e por aí vai…

Outros um pouco mais atuais posso citar Bruno & Marrone, Leonardo, Zezé Di Camargo & Luciano, César Menotti & Fabiano, além de outras duplas maravilhosas que ficaria horas aqui escrevendo, rs.

Qual o melhor cantor ou cantora sertaneja em sua opinião?

Difícil essa pergunta, porque têm muitos cantores maravilhosos nesse segmento. Entre tantos, posso citar o cantor Daniel, o Edson, da dupla Edson & Hudson, e o Bruno, do Bruno & Marrone.

Mas vou eleger o saudoso Zé Rico, da dupla com o Milionário. Melhor jamais vai ter! Sua capacidade vocal e afinação foram únicas!!!

Dos que já levou em seus programas, qual o mais chato ou chata?

Vou usar do meu “sincericídio” que me é peculiar, rs. Uma vez tive a honra de receber o Trio Parada Dura em meu antigo programa Barlada, ainda com a primeira formação, onde estava o saudoso sanfoneiro Mangabinha, que foi o criador do trio.

Porém, ele não queria de forma alguma cantar ao vivo. Tinha a fama de ser genioso, disse que preferia ir embora, mas naquela época o estilo do meu programa não tinha playback ou dublagem.

Então dei a ele todo o poder de decisão de cantar ou não, sempre enaltecendo o trabalho deles do qual sou verdadeiramente fã.

E com o meu jeitinho de persuasão, carisma e jogo de cintura, ele não só fez o ao vivo como se despediu pedindo pra voltar numa segunda parte.

Que Deus o tenha ao seu lado; um grande músico e compositor que marcou história!

O que você acha do movimento feminejo? O mundo sertanejo é machista?

Já foi muito!!! Acho o movimento feminejo super válido. Lá atrás, As Galvão, que foram as precursoras, abriram portas num meio totalmente dominado pelos homens.

Depois vieram As Marcianas, As Mineirinhas, lembro também das Irmãs Freitas, porém, ainda assim, existia uma barreira a ser quebrada.Com esse movimento, elas conseguiram não só preencher essa lacuna que estava aberta, como também representar muito bem o universo feminino, tanto enquanto duplas, até como cantoras solo.

Você acha que a música caipira e o sertanejo são da mesma raiz? Existem pessoas que acham e outras que não. A Inezita Barroso não gostava da atual música sertaneja, por exemplo.

Então, ainda que sem saber dessa pergunta, respondi lá atrás sobre a minha preferência que também é das modas de viola.

Penso que essa música sertaneja atual sofreu uma modificação significativa, incluindo letras mais fáceis e melodias com instrumentos diferentes, como a guitarra por exemplo. Pra mim, a raíz do caipira continua ali, os frutos que deram é que são outros.

Quanto a Inezita, temos que abrir esse espaço para prestar uma homenagem à ela. Uma grande cantora e apresentadora que deixou muitas saudades.

Acha que as músicas sertanejas estão se repetindo muito nos temas de sofrência?

No tema sofrência não, porque os apaixonados pedem e curtem bastante rs. É aquela brincadeira, R$10 de crédito no celular e uma música de sofrência no fundo faz um estrago danado com o ex rs.

Mas acho que algumas letras deveriam ser menos repetitivas e bobas. Sinto falta das músicas com histórias!!!

O Festanejo comemora a semana da sofrência um dia antes do dia dos namorados. Até convidamos uma psicóloga de família para nos responder sobre esse sentimento e porque faz tanto sucesso. Você acha que estas músicas fazem sucesso porque as pessoas estão se maltratando demais nos relacionamentos?

Acredito que a música hoje é muito voltada para o público jovem. E esse público é sempre mais intenso, tanto nas demonstrações em redes sociais que os aproximou bastante de qualquer lançamento hoje em dia, quanto em suas vidas.

Além do quê, vivemos num país onde estamos em um dos primeiros lugares de traições de relacionamentos em relação ao resto do mundo. Isso explica tanta sofrência, uai…rs.

Confira também: [EXCLUSIVO] Dia dos Namorados: Saiba como conquistar o seu amor com dicas da Astrologia e Tarot

A música é um abraço pelo som. Que música você gosta de ouvir quando está com alguém que ama?

Concordo em gênero, número e grau! Brinco que sou “musicólatra”, se deixar durmo e acordo ouvindo música. Mas depende muito do momento que estou…

Como sou bem eclética, há momentos de curtir músicas antigas internacionais, que amo de paixão!!! Sabe aquelas de arrepiar até o cabelo do chão do barbeiro? Que o cidadão chora sem motivo?

Mas também mesmo acompanhada ouço samba, sertanejo, MPB. Curto um pouquinho de tudo, desde que seja bom!!!

Você já pensou em também ter uma carreira como cantora?

Adoraria, mas vou te dizer que sou a desafinada da família. Amo música, mas pra isso precisaria de uma grande dose de cara de pau e muita, mas muitas aulas de canto rs.

Você disse em entrevista para o Ricky Colavitto no programa “Fala ou Toma” que tem uma visão política que é bom nem falar. Acha que o artista não pode se posicionar nestes casos?

Não só pode como deve. Na época da eleição passada, deixei bem claro minha posição em minhas redes sociais. Por conta disso tive que, inclusive, colocar algumas pessoas em seu lugar que não aceitam opiniões contrárias, deixando bem claro que minhas redes sociais, minhas regras!!!

Acho que as pessoas têm que parar de fazer fã-clube para políticos e entender que eles foram eleitos por nós, o povo. Portanto, devem satisfação a nós, o povo.

 Quanto à entrevista que dei para o querido Ricky Colavitto, a pergunta não era sobre política, por isso, disse que não caberia dizer, mas se tivesse me perguntado, a resposta seria na lata.

Uma pena não poder fazer propaganda política por aqui né?  A propósito, meu número de sorte é 13!!!

Fale pra gente o segredo do beijo com barulho! Porque ele funciona mais?

Esse é um bordão que criei naturalmente há algum tempo, porque beijo sem barulho é xoxo, sem graça, rs. Tem que haver vontade, e por isso o beijo com barulho é a minha cara, pois tudo que faço, faço com vontade.

Por fim, fale para seus fãs, que são muitos, o que você tem de surpresas e seus planos, para eles, neste futuro próximo.

Primeiramente, quero muito agradecer o convite dessa entrevista ao Festanejo, em especial a você, José Alberto da JAL Comunicação, e também a Way Comunicações. Parabenizá-los pelas excelentes perguntas, desejando a você e toda a sua equipe muito sucesso!

Quanto aos meus seguidores, só posso agradecer de coração por todo o carinho demonstrado por meio das lindas mensagens em minhas redes sociais, pelo Instagram – @tattialenncaroficial e @programatattishowoficial – e ainda pelo WhatsApp da produção 11-99577-7784.

E dizer que estaremos apostando muito nas reportagens externas, mostrando o que há de melhor na música, bem como curiosidades e bastidores do meio artístico e até de outras emissoras de TV e rádio!!!

O programa Tatti Show vai ao ar todos os domingos às 23h pela Rede CNT de TV. Quem tem dúvida de como sintonizar a emissora na sua cidade, ou ainda se é TV aberta ou paga, entre no site www.cnt.com.br, e de acordo com sua cidade, você vai descobrir em qual canal sintonizar. Uma outra opção é baixar o app da CNT Play em seu celular e assistir por ele.

Deus abençoe a todos!!! Beijos com barulho e com muito Festanejo!!!

COMPARTILHE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.